Bahia abre 10 mil vagas para cursos técnicos a partir de segunda-feira (20)

o mercado de trabalho, quem não tem qualificação acaba não tendo muitas escolhas. Mas, para jovens e adultos que estão em dívida com a conclusão da educação básica e se preocupam com qualificação profissional, a história pode ser outra.

Na próxima segunda-feira (20), a rede estadual de ensino inicia as inscrições para mais de 10 mil vagas em com mais de 52  cursos técnicos. Enfermagem, Administração, Redes de Computadores são algumas das opções.

Alex, que trabalha como motociclista prestando serviços para a Petrobras, foi promovido após curso.
(Foto: Almiro Lopes/Correio)

Em todo o estado, são 10.035 vagas, 4.300 delas na Região Metropolitana de Salvador  – capital, Simões Filho e Camaçari. As inscrições seguem até quinta-feira (24).

São três modalidades de formação, cada uma para um público em diferente grau de escolaridade. Os candidatos devem saber ler e escrever, ter mais de 18 anos e já ter feito pelo menos uma série do ensino fundamental.

As vagas ofertadas atendem a dois programas: o de Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores Integrada à Educação de Jovens e Adultos em nível fundamental e o de Educação Profissional Técnica (nível médio). No primeiro programa, pode participar quem já concluiu o fundamental e quer fazer o ensino médio junto com o técnico. Nesse caso, deve  se inscrever no Proeja Médio, que reserva mais da metade das vagas: 5.515.

Quem não concluiu o fundamental tem a chance de fazê-lo junto com um curso técnico, em 2 anos e meio. Para essa modalidade, conhecida como o Proeja Fundamental, há 315 cadeiras reservadas nas escolas participantes.

Não há uma seleção para nenhuma das duas modalidades: basta consultar a escola que oferece o curso que deseja (ver ao lado) e se inscrever.

Outras 4.205 vagas foram abertas para atender uma lista de espera de um sorteio eletrônico feito no final do ano passado (inicialmente, para atender as vagas do 1º semestre) do programa Médio Subsequente (Prosub), também conhecido como pós-médio. Nessa categoria, são atendidos apenas estudantes que já concluíram o ensino médio e querem retornar para a escola para aprender uma profissão de nível técnico, em dois anos.

Esses estudantes serão convocados, entre 20 e 24  deste mês, para comparecer à escola e efetuar a matrícula.  É preciso ficar atento à relação da lista de espera no site da secretaria:www.educacao.ba.gov.br.

Exemplo
Alex Vieira, hoje com 40 anos, trabalhava como motociclista prestando serviços para a Petrobras. O emprego estava tranquilo e garantido, mas ele queria um pouco mais. Apostou em um curso de educação profissional em logística e foi promovido.

Ele diariamente tinha uma lição relacionada ao curso: traçar o roteiro da Pituba, onde trabalha, até São Caetano, onde estudava, e retornar para Tancredo Neves, onde mora. “As pessoas não entendiam que eu saía do trabalho e ia para o curso. Não botavam muita fé, mas eu insisti, não liguei para os comentários e hoje vejo que valeu a pena”.  Atualmente, Alex trabalha como técnico em logística.

Já Aline Sacramento, 30, começou o curso de eletrotécnica há dois anos e já está perto de concluir. No início, era só uma forma de se manter estudando. Hoje, já pensa em usar o curso para novas oportunidades. “Meu pai trabalhava na área e sempre tive curiosidade. Hoje, me encanto com a eletricidade”, conta ela,  que está empregada atualmente, mas aguarda uma  chance na área desejada.

Para a assessora de formações estratégicas da Superintendência de Desenvolvimento da Educação profissional (Suprof), da Secretaria da Educação, Neivia Lima, os cursos são uma chance de jovens-adultos recuperarem o tempo perdido.  “Nossos cursos são voltados para a inserção no mundo do trabalho, mas não só para formação de mão de obra. Os estudantes também aprendem noções de cooperativismo e empreendedorismo”, ressalta Neivia.

Ela comenta que as ações de extensão desenvolvidas nos cursos, que incluem o uso do que está sendo aprendido para fazer intervenções na comunidade, são resultados do curso.  O governo do estado, no entanto, está desenvolvendo um programa chamado Primeiro Estágio, Primeiro Emprego que deve facilitar a inserção dos estudantes dessa modalidade na prática do que está sendo estudado.

A rede de educação profissional da Bahia é a segunda maior do país na oferta de cursos técnicos de nível médio, segundo o Censo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep/MEC), com mais de 75 mil matriculados.  A expectativa da secretaria é ampliar para 150 mil o número de matrículas até 2018.

Opções
São 52 opções de cursos técnicos divididos em 10 áreas, que são nomeadas pela secretaria como Eixos Tecnológicos. Os eixos são: Ambiente e Saúde, Controle e Processos Industriais, Desenvolvimento Educacional e Social, Gestão e Negócios, Informação e Comunicação, Infraestrutura, Produção Alimentícia, Produção Cultural e Design, Segurança e Turismo e Hospitalidade.

Entre as novidades, a Secretaria da Educação destaca o novo curso na área de Serviços Jurídicos, no Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde e Gestão, em Guanambi, no Sudoeste.

*iBahia

*Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.